Home

Relaxante para as dores musculares

Relaxante para as dores musculares

Relaxante para as dores musculares

Há no mercado uma panóplia imensa de pomadas, cremes e cápsulas específicas para o relaxamento muscular dos músculos.

Em caso de lesão dos mesmos. Podendo ser ingeridos ou aplicados por via de massagens na zona afectada, os relaxantes musculares têm intervenção imediata na dor, amenizando a tensão e o espasmo musculares, acarretando assim uma sensação de alívio.

Relaxantes musculares não são analgésicos

É importante notar que os relaxantes musculares não são analgésicos. Os analgésicos actuam directamente no cérebro, promovendo a analgesia, mas não têm qualquer intervenção anti-inflamatória na lesão. Já os relaxantes musculares agem por via do bloqueamento neuromuscular, promovendo o relaxamento da musculatura.

Hoje em dia, contudo, a maioria dos relaxantes musculares que se podem comprar nas farmácias, sem necessidade de receita médica, são combinados com analgésicos e anti-inflamatórios, o que motiva uma acção mais abrangente sobre a lesão, mas acarreta também mais efeitos secundários indesejáveis a que convém estar sempre atento.

Tipos de relaxantes musculares

Os relaxantes musculares podem ser definidos conforme a área de intervenção onde serão usados. Deste modo, podem ter acção central, acção periférica ou acção directa no músculo lesionado. Atente de seguida nas especificidades de cada tipo:

Relaxantes musculares de acção central

Este tipo de relaxantes actua a nível do sistema nervoso central, a nível do encéfalo ou da medula. São, por norma, utilizados para o alívio das dores músculo-esqueléticas e dos espasmos e para diminuir a espasticidade muscular que se verifica em diversas patologias neurológicas.

Podem ser usados no tratamento de doentes com Parkinson, que sofram de lesões da espinal medula, em casos de paralisia cerebral e em pacientes com contraturas musculares motivadas por doenças do foro reumático, entre outras situações.

Relaxantes musculares de acção periférica

Estes relaxantes actuam a nível da junção neuromuscular, bloqueando assim a transmissão nervosa da dor, não afectando o sistema nervoso central. Chamados de curarizantes, estes fármacos são usados para promover o relaxamento muscular durante uma cirurgia ou para a execução de determinadas acções dos membros, tendo em vista diagnosticar ou tratar um problema. Também podem ser utilizados no tratamento do tétano e para a execução da ventilação mecânica.

Neste âmbito a escolha do relaxante muscular mais apropriado dependerá da duração da sua acção e das reacções adversas que pode suscitar (apneia demorada, colapso cardiovascular, entre outros), em função dos efeitos para que é usado.

Relaxantes musculares de acção directa no músculo

Os relaxantes musculares aplicados directamente na zona afectada são os mais utilizados pelas pessoas, porque também são os mais acessíveis, podendo comprar-se livremente nas farmácias. Na maioria dos casos estes relaxantes musculares são constituídos por anti-inflamatórios e analgésicos que potenciam o efeito de alívio, promovendo o relaxamento muscular.

Relaxantes musculares mais utilizados

Os relaxantes musculares mais conhecidos são a fenilbutasona, a carisoprodol e o tiocolchisídeo. Contudo, antes de decidir auto-medicar-se, deve ler com muito cuidado todas as indicações e contra-indicações. Lembre-se que a maioria dos relaxantes musculares tem associado outro tipo de fármacos que podem acarretar efeitos secundários indesejáveis.

Este artigo precisa de revisão por um profissional, quer fazê-lo? Comece aqui.

Patrocínios

4 Comentários

  1. muito bom! says:

    Excelente artigo.

  2. Muito bem orientado. A pessoa erra se quiser.

    Obrigada

  3. VALTER says:

    OTIMAS INFORMAÇÕES.

  4. luzia says:

    muito bom gostei

O que achou do artigo?